terça-feira, 28 de julho de 2009

Terça-feira feiosa...o céu escuro..garoando..agora ta mais claro..ameaçando ficar sem nuvens..
Ontem eu dobrei a fada [não sei o autor ><]
Ficou legal....graças a Fernanda \o/
Acordei tarde...bem tarde..aliás..quanto mais frio fica...e mais escuro..mais eu durmo...acho q eu devia ter nascido um urso...pra poder hibernar ><
Minha consulta foi adiada pra quarta-feira...e eu tenho algo hoje as 15 horas...mas não consigo me lembrar..logo..eu não vou :D
Eu quero fazer o cachorro de tirinhas..mas não sei nem por onde começar..

Acho q vou aproveitar pra digitar uns textos..pra minha avó...dps preciso fazer lótus com sulfite..pra ver como fica com 75g ><

ou terminar de fazer os módulos do sea urchin ;~
Tem vários diagramas pra tentar >< que fico até na duvida e acabo não dobrando :(

Eu devia ir pra casa da minha tia buscar um treco lá..mas meu pai ainda não chamou..então..vamos fingir que eu ainda estou dormindo ><

E pra terminar..vou colocar um texto que eu recebi da Mah..[não sei quem é o autor..]
mas que é muito bonito...
Ahh..antes do texto..talvez eu de uma sumidinha...vamos ver neh ?!


*************

Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite.
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa.
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

*************
Tenham uma boa semana :}
beijinhos :*

Um comentário:

  1. Oi, Mah.

    Nossa, que texto triste... deu até vontade de chorar...

    Beijos.

    ResponderExcluir